Blog do Alfredo

A Tim desrespeita os clientes e mostra que a Anatel não serve para nada!

0524 - Tim

Na era digital, todas as normas de segurança ditadas por consultores de qualquer viés indicam que os clientes não devem – em hipótese alguma – passar dados pessoais, mesmo quando tratam diretamente com os malditos, enfadonhos e desrespeitosos canais de comunicação por telefone ou qualquer outra plataforma.

A Tim mostra que pouco está se lixando para isto e desrespeita sistematicamente os clientes, com a arrogância de quem sabe que tem o respaldo da inútil Anatel.

Não oferece, por exemplo, a opção de atendimento presencial para os chamados contratos corporativos – indicando terceirizados pomposamente chamados de “consultores”, que na verdade não passam de vendedores travestidos de picaretas ou seria de picaretas travestidos de vendedores.

Uma vez pedi um atendimento presencial, sendo contemplado com a visita de uma pessoa que não pode resolver as demandas porque era nova e como não tinha ninguém para ajudá-la, foi um contato inútil. Mas só para mim. Porque passados 15 dias, eis que recebo a visita da mesma “consultora”, então já vendedora de produtos de um grupo de marketing de rede me propondo negócios e como tinha os dados cadastrais da minha empresa – que buscou no cadastro da Tim, passou a me oferecer toda sorte de quinquilharia.

E fez uma, duas, três e quatro visitas – somente cessando o incômodo quando ameacei chamar a polícia…

Ao não dispor de atendimento presencial, a Tim terceiriza o serviço ou obriga o cliente a fornecer minuciosamente todos os seus dados pessoais ou de sua empresa – numa postura que beira à leviandade. Para não dizer que se trata de safadeza pura.

As telefonistas se esmeram em seguir um roteiro, destituídas em sua maioria de senso crítico – incapazes de perceberem o absurdo que é pedir dados empresariais.

Instada, a Anatel diz que não pode responder a estas questões a não ser através de um requerimento formal – nem mesmo em relação à obrigatoriedade da opção de atendimento presencial.

Observemos o que dispõe e normatiza a Resolução 632 de 7 de março de 2014 – da Anatel em seu anexo que cria, com o pomposo e inútil nome, de Regulamento Geral de Direitos do Consumidor de Serviços de Telecomunicações:

“Art. 33. As Concessionárias do STFC e as Prestadoras do SMP devem manter ao menos um Setor de Atendimento Presencial por Microrregião com população igual ou superior a 100.000 (cem mil) habitantes atendida em sua Área de Prestação.

§ 1º Deve ser previsto um Setor de Atendimento Presencial adicional a cada 400.000 (quatrocentos mil) habitantes, por Microrregião.

§ 2º Os Setores de Atendimento Presencial adicionais devem ser distribuídos na Microrregião.”

Confrontada com esta realidade, as telefônicas dizem que a Anatel sabe que esta é um resolução sem poder de Lei e que só fez isto para agradar clientes chatos e antiquados.

Não sei como é o atendimento em outras empresas, mas na Tim o cliente é desrespeitado na qeustão do atendimento.

Categories: Celular, Direito do Consumidor, Tim

Por que “guilhotinaram” Delcídio com celeridade e serão condescendentes com Jucá? » « Bem-vindos ao pragmatismo de Temer: quem manda no governo… são “os outros”

1 Comment

  1. Olá gostei do assunto ,mas está consado de correr atraz de banca para poder recarregar seu celular ou ficar pagando 1 real pra carregar em mercado?
    Clique no link no nome e veja como recarregar a hora que quizer e ganhe desconto na preimeira recarga

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Copyright © 2017 Blog do Alfredo

Theme by Anders NorenUp ↑