Qualquer pessoa sabe bem o modus operandi da Rede Globo em todo País. E todo mundo também sabe como ela se vale da hipocrisia e do falso moralismo para chantagear, extorquir e manter sua hegemonia.

Produto mais duradouro e nefasto da ditadura militar que enfrentamos de 1964 até 1985, a Rede Globo é a prova cabal do quanto falta de percepção política ao pessoal do PT – que em lugar de construir alternativas de comunicação, resolveu ser generoso com a emissora (refinanciando empréstimos, sendo condescendente na cobrança de débitos tributários, etc).

Há inclusive uma história atribuída ao Lula – da qual nunca soube a plena veracidade.

Reza a lenda de que o morubixaba comandava uma reunião quando foi interpelado por alguém acerca da importância de estruturar mecanismos de democratização do acesso a informação, investindo pesado na crianção de uma TV Pública e definindo estratégias para enfrentar o monopólio da informação.

E ali, entre uma risada e outra, Lula teria disparado:

–  Não entendo por que vocês insistem nessa história de ter uma TV do Governo. Nós já temos uma!

E diante do silêncio, ele mesmo teria concluído:

– Vocês esqueceram que agora a TV Globo é nossa?

Verdade ou mentira – estou mais para crer em tal fato do que duvidar, porque a incapacidade dos petistas em compreender a realidade pode ser vista nas relações promíscuas que TODOS os governos do PT mantiveram com os grupos tradicionais de mídia – este fato ilustra bem o que é a Rede Globo.

É importante destacar que a Rede Globo não tem escrúpulos. Ela tem interesses. Para ela, os segmentos sociais se legitimam apenas financeiramente. Assim, na visão dos seus diretores, se há oportunidade de faturar com a tragédia, que se transforme a tragédia em fonte de renda.

Mas, como dizia meu velho e saudoso pai: a desgraça é que o mundo é redondo!

A Globo que silenciou diante de muitas denúncias, que se omitiu diante de muitas realidades, que foi conivente com muitas barbaridades, que aplaudiu muitas insanidades, que deu voz e vez para gatos pingados em suas diatribes e insanidades, ela que sempre viveu e continua vivendo do BV junto às agências de publicidade, ela que tenta transformar o modo de vida da zona sul do Rio em padrão de comportamento para o Brasil da periferia (para os mentecaptos do Jardim Botânico, se não for da zona sul do rio, o resto do Brasil é periferia), ela que sempre usou delações como prova irrefutável, agora tenta se vender como a virgem, a santa.

O episódio refere-se à denúncia feita em delação do empresário Alejandro Burzaco. Em depoimento perante a justiça em Nova Iorque nesta terça, dia 14.  Burzaco, ex-executivo da Torneos Y Competências, empresa argentina que negociava os direitos de transmissão de competições organizadas pela Conmebol, disse com todas as letras que a Globo pagava suborno aos dirigentes da entidade que comanda o futebol na América Latina.

Por analogia ao seu comportamento anterior e histórico, é preciso considerar a Rede Globo como culpada – porque é assim que ela trata as delações e os vazamentos eletivos e seletivos: se foi denunciado, se foi citado, se foi sugerido – é culpado.

Dentro deste cenário, é um exercício de cinismo, de hipocrisia e de desrespeito para com a sociedade o que a Globo faz ao se defender das acusações e alardear-se como último bastião da ética, da moralidade e da transparência.